revista kalinka >>
editorial >>
índice artigos >>
índice autores >>
audiovisual >>
editora kalinka >>
catálogo >>
indicamos >>
fale conosco >>
Literatura Russa - Autores - Literatura Russa
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Viatchesláv Kupriyánov
 

O poeta Viatchesláv Kupriyánov (1939) nasceu em Novosibirsk, na Sibéria, e mora há muitos anos em Moscou, onde se formou, em 1967, no Instituto de Tradução de Línguas Estrangeiras. Ao longo dos anos, traduziu para o russo textos de diversas línguas, sobretudo do alemão e do inglês, de autores como Bertold Brecht, Erich Fried, Günter Grass, Novalis e Rainer Maria Rilke. A atividade de tradutor fez com que Kupriyánov, em 1976, se tornasse membro da União dos Escritores Soviéticos, por recomendação de Lídia Ginzburg (1902-1990), crítica literária soviética, e, em 2010, recebesse o Prêmio Búnin.

Logo que entrou na Faculdade de Tradução, ele começou a publicar seus poemas. O primeiro saiu em 1961 na revista O estudante soviético (Soviétskii studient) e o segundo um ano depois em A verdade moscovita (Moskóvskii pravda). Mas, nos anos 1960, a grande divulgação de sua obra aconteceu boca a boca: recitava suas criações em clubes e bibliotecas de Moscou.

Desde o princípio, escrevia poemas não metrificados. Com efeito, o que mais caracteriza Kupriyánov na Rússia é o fato de ter sido um dos pioneiros do verso livre, do verlibr, tendência que “inaugurou” na poesia russa contemporânea ao lado dos poetas Vladímir Buritch (1932-1994), Arvo Mest (1937-1997) e Guennádi Alekséiev (1932-1987). 

Se, no início, seus versos livres causaram estranheza aos críticos russos, que os viam como uma "traição à tradição", como nota Vera Khorvat, "num país de grandes mestres da versificação", hoje Kupriyánov é dono de uma carreira sólida e bem-sucedida. Além de traduzido para diversas línguas (alemão, armênio, búlgaro, cingalês, croata, flamengo, francês, holandês, indiano, inglês, polonês, português, romeno e sérvio), é um autor bastante original e premiado (Prêmio da Rádio SWR/Bestenliste, Prêmio do Ministério de Cultura  e Educação da Áustria, Prêmio Internacional Branko Radičević, Prêmio Maiakóvski de Literatura Russa, entre outros).

Com humor e ironia, a poesia de Kupriyánov trata de temas universais, como o amor e o tempo, sem desprezar as questões pungentes do mundo caótico em que vivemos.

Alguns livros: A vida anda (1982), O manuscrito inacabado (1991), O telescópio do tempo (2003), Tempos melhores (2003).

 
Artigos relacionados
 

Entrevista com Viatchesláv Kupriyánov 20/12/2012 >>

Canção de ninar e outros poemas 07/03/2016 >>

 
 
Kalinka 2011 >> Todos os direitos reservados

busca  >>