revista kalinka >>
editorial >>
índice artigos >>
índice autores >>
audiovisual >>
editora kalinka >>
catálogo >>
indicamos >>
fale conosco >>
Literatura Russa - Autores - Literatura Russa
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Joseph Brodsky
 

De família judaica, Joseph Brodsky, provavelmente o maior poeta russo do século 20, nasceu em 1940 em São Petersburgo, então Leningrado. Seu pai, Aleksándr Brodsky, um fotógrafo, trabalhou como correspondente de guerra. De 1942 a 1944, já durante o Cerco de Leningrado, Joseph esteve na evacuação com sua mãe, Maria Volpert.

Brodsky largou o colégio aos 15 anos de idade – por um lado, para ajudar os pais e, por outro, por não adaptar-se aos ditames soviéticos – e então passou por diversos trabalhos, como o de torneiro mecânico e o de assistente numa expedição geológica. Começou a escrever aos 18, 19 anos de idade e educou-se sozinho (aprendeu polonês, inglês, filosofia clássica, mitologia e religião). 

Em 1963, depois de um artigo que difamava um de seus poemas, Brodsky foi detido e mandado para uma instituição de doentes mentais e, em seguida, preso e acusado de “parasitismo social” (trechos deste estranho processo, no qual ele se declara poeta, foram usados na peça Liberdade, liberdade, escrita por Millôr Fernandes e Flavio Rangel em 1965). Como sentença, foi mandado ao exílio para cumprir cinco anos de trabalhos forçados. Protestos de figuras do quilate de Jean Paul Sartre, Dmítri Chostakóvitch e Anna Akhmátova fizeram com que Brodsky fosse solto em 1965. Aliás, como se sabe, Anna Akhmátova louvou publicamente o trabalho do então jovem poeta e foi quem o apresentou a Marina Basmanova, uma jovem e enigmática pintora, com quem ele casou e teve seu primeiro filho e a quem dedicou muitos de seus poemas. Depois de alguns anos, Marina o deixou. 

Em 1972, Brodsky, obrigado a sair da Rússia, seguiu para Viena, onde conheceu o poeta W. H. Auden, que o ajudou a integrá-lo à Universidade de Michigan. Foi professor visitante em várias universidades importantes, como Columbia e Cambridge. Em 1979 recebeu o título honorário de doutor em letras pela Yale. Outros tantos títulos e prêmios passaram a fazer parte de seu currículo.

Além de poeta, Joseph Brodsky foi ensaísta, dramaturgo e tradutor e escrevia tanto em russo como em inglês (ele mesmo traduzia seus poemas para o inglês). Traduzido desde a década de 1960 para várias línguas (na Rússia circulou por muito tempo basicamente em edições clandestinas), seu nome tornou-se ainda mais conhecido depois do prêmio Nobel, que recebeu em 1987, e por seus pontos de vista ─ eruditos, independentes, irônicos e líricos. 

Já tendo passado por uma operação no coração, no dia 28 de novembro de 1996, em Nova Iorque, um ataque cardíaco lhe tirou a vida aos 55 anos de idade. 


Muitos de seus trabalhos se consagraram, como A Part of Speech, de 1977. No Brasil, sua obra ainda é pouco divulgada. Temos uma coletânea de poemas, Quase uma elegia (Sette Letras), traduzida por Boris Schnaiderman e Nelson Ascher, e o livro de ensaios Menos que um (Cia. das Letras). 


 
Artigos relacionados
 

"Não é que esteja louco, só cansado do estio" 10/12/2013 >>

 
 
Kalinka 2011 >> Todos os direitos reservados

busca  >>