revista kalinka >>
editorial >>
índice artigos >>
índice autores >>
audiovisual >>
editora kalinka >>
catálogo >>
indicamos >>
fale conosco >>
Literatura Russa - Autores - Literatura Russa
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Daniil Kharms
 

O poeta, escritor e dramaturgo Daniil Kharms (1905-1942), cujo nome verdadeiro era Daniil Ivánovitch Iuvatchóv, nasceu em São Petersburgo. Kharms foi um dos inúmeros pseudônimos adotados por Daniil desde os tempos de estudante. Muitas vezes ele o assinava com caracteres latinos, “Daniel Charms”. 

Em 1928 Daniil Kharms e outros artistas da vanguarda de Leningrado, como Aleksándr Vvediénski, Konstantin Váguinov e Igor Bákhterev, criaram a OBERIU (Associação para uma Arte Real). A OBERIU, que durou cerca de três anos, reuniu literatura, cinema, teatro e artes plásticas, e produziu experiências artísticas inovadoras, como a peça Elizaveta Bam (1928), escrita por Kharms. Depois da dissolução do grupo, a obra de Kharms, sempre perpassada por um humor ferino, ganhou linhas mais minimalistas e filosóficas, que se relacionavam com suas conversas com os tchinari, círculo de filosofia e arte fundado por Vvediénski. Kharms, ao longo da década de 1930, já muito isolado (apenas com seus amigos tchinari conseguia se encontrar) e quase sem condições de sobreviver, produziu sobretudo trabalhos em prosa, como a série Slútchai (Causos), escrita entre 1933 e 1939, e A velha, de 1939, sua única novela.

Daniil Kharms teve um percurso como o de muitos artistas do período stalinista. Distante estética e filosoficamente do que, a partir de 1932, convencionou-se chamar de “realismo socialista”, foi preso duas vezes, em 1931 e em 1941, morrendo logo depois numa cela psiquiátrica.

Em vida, praticamente apenas seus textos e poemas para crianças foram publicados. Hoje sua obra é lida e relida e comparada à de escritores do quilate de Samuel Beckett e Eugène Ionesco. Na verdade, Daniil Kharms, assim como Franz Kafka, a quem também é assemelhado, prenuncia a literatura do absurdo ou absurdista.

No Brasil, a editora Kalinka lançou em 2013 a primeira coletânea dedicada ao autor, Os sonhos teus vão acabar contigo: prosa, poesa, teatro, com tradução de Moissei Mountian, Daniela Mountian e Aurora Fornoni Bernardini.

 

 
Artigos relacionados
 

O sono abusa do homem 14/02/2012 >>

Iván Toporýchkin 05/07/2012 >>

"Alguém caiu no cão" 10/12/2013 >>

Sobre Púchkin | Púchkin e Gógol 02/06/2014 >>

Sobre Púchkin | Púchkin e Gógol 02/06/2014 >>

 
 
Kalinka 2011 >> Todos os direitos reservados

busca  >>