revista kalinka >>
editorial >>
índice artigos >>
índice autores >>
audiovisual >>
editora kalinka >>
catálogo >>
indicamos >>
fale conosco >>
Literatura Russa - Autores - Literatura Russa
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Aleksándr Blok
 

Aleksándr Blok (1880-1921), poeta e dramaturgo, veio de uma família de intelectuais. Seu pai foi um jurista, e sua mãe uma escritora e filha do botânico Andrei Bekiétov, reitor da Universidade de São Petersburgo. Com o divórcio oficial dos pais, Blok mudou-se para São Petersbugo, acompanhando a mãe e o padrasto, um oficial.

Aleksándr Blok foi uma das figuras mais notáveis do simbolismo russo, ao lado de nomes como Andrei Biély (1880-1934), Dmítri Merejkóvski (1866-1941), Fiódor Sologub (1863-1927) e Valiéri Briussóv (1873-1924). Seu primeiro livro de poemas, Poemas sobre a bela dama (Stikhi o prekrásnoi dame, 1904), já lhe conferiu prestígio entre os jovens simbolistas, e o segundo, Alegria inesperada (Netcháiannaia rádost, 1907), tornou-o um escritor famoso e muito popular, especialmente entre as mulheres.

Blok mostrou-se exultante com a revolução de fevereiro de 1917, tendo atuado intensamente em favor dela, era o “poeta da revolução”, e continuou assim com o desenrolar da de outubro. Logo depois, no entanto, ficou profundamente abalado com os acontecimentos que as sucederam. Chegou mesmo a ser preso em 1919, acusado de conspiração.

O lirismo de Aleksándr Blok traz marcas das ideias do filósofo Vladímir Solovióv (1853-1900), sobretudo de sua concepção idealizada de amor ligada à imagem de sofia, a eterna sabedoria e feminilidade virginal. Blok publicou muitas coletâneas de poesias, tais como Manhã cinza, poemas (Sedóe utro, Stikhotvoriénia, 1920) e Versos juvenis (Ótrotcheskie stikhi, 1923). Seu trabalho como dramaturgo também deixou um legado importante. Familiarizado com o teatro e as ideias de Meyerhold (1875-1940), escreve quatro peças, entre elas: Balagántchik (1906).

 
Artigos relacionados
 

Estátua 25/02/2011 >>

 
 
Kalinka 2011 >> Todos os direitos reservados

busca  >>